Experimental pode
Setor 25/10/2014

Experimental pode

Veja
Jornalista: Lauro Jardim
Um plano de saúde é obrigado a custear um tratamento experimental para o câncer? No início do mês, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) definiu essa questão.
Na ação julgada, foi recomendado a um paciente, portador de um câncer na língua, que usasse medicamentos ainda não aprovados no Brasil. A Unimed recusou-se a cobrir as despesas do tratamento proposto pelo médico do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Alegou que o tratamento “tipo experimental” não tinha cobertura contratual.
Mas o paciente foi em frente. Ficou curado. E acionou a Unimed.
O STJ, analisando um caso como esse pela primeira vez, decidiu, por três votos a dois, que a empresa deve bancar o tratamento, pois havia recomendação médica e era a última alternativa para salvar a vida do paciente.
Agora, o precedente pode ser aplicado em situações similares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *