Interfarma participa de webinário sobre pesquisa clínica do Centro de Inovação da Dinamarca

Interfarma participa de webinário sobre pesquisa clínica do Centro de Inovação da Dinamarca

Na manhã da última quarta-feira, 11.11, a presidente-executiva da InterfarmaElizabeth de Carvalhaes, participou do webinário “South Korea-Israel-Brazil Clinical Trials”, promovido pelo HealthCare Denmark e pelo Innovation Centre Denmark. 

Algumas características do Brasil podem ser interessantes para a realização de pesquisas clínicas de produtos farmacêuticos. Além do país ter papel de destaque no mercado farmacêutico mundial, aparecendo entre a 6ª e 7ª posição do ranking dos maiores mercados, a diversidade do povo brasileiro é uma vantagem a ser aproveitada por quem conduz pesquisas clínicas de novos medicamentos e vacinas.  

“Nossa população é de 220 milhões de habitantes e é composta por imigrantes de várias partes do mundo. Ao ter pessoas de diferentes regiões do mundo e miscigenação, o Brasil tem uma característica importante para pesquisas clínicas. Esses indivíduos podem ter respostas diferentes para um medicamento alvo de uma pesquisa. Ao invés de ir para países diferentes, o estudo clínico pode ser feito no Brasil graças a diversidade da nossa população”, destacou Elizabeth. 

Outro ponto ressaltado pela presidente da Interfarma como atrativo é o tamanho da economia brasileira – a 9ª economia no mundo – e o empenho do governo para atrair investimentos. “O governo brasileiro está aberto para atrair investimentos. Hoje temos tanto no executivo quanto no Congresso Nacional, um bom ambiente para falar sobre pesquisa clínica. A Interfarma trabalha nos últimos dois anos com o Congresso em um projeto de lei de pesquisa clínica para modernizar a legislação e atrair mais investimentos. O Brasil tem boas condições, especialmente com a aprovação da nova lei, para atrair mais estudos. Além disso, a Anvisa está bem alinhada com as agências regulatórias de outros países e integra hoje o Steering Committee do ICH – International Council on Harmonisation of Technical Requirements for Registration of Pharmaceuticals for Human Use, pontuou. 

O seminário contou ainda com a participação de Maria Helena Dominguez Vall-Lamora, professora associada da Faculdade de Ciências Médicas e de Saúde da Universidade de Copenhague e do Hospital Frederiksberg, com a visão brasileira sobre o tema; Dr. In-Jin Jang e Line Kongstad, sobre a Coreia do Sul e Nathan Keller e Lotmit Bourvine, sobre a experiência de Israel. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.