O melhor da inovação em saúde
Para Sociedade Setor 26/06/2017

O melhor da inovação em saúde

Revista Saúde É Vital

Uma parceria entre a revista SAÚDE e a Liga Ventures, uma das principais aceleradoras de startups do Brasii, reuniu empreendedores, grandes empresas e especialistas para conhecer novas iniciativas e trocar experiências na área de saúde. Esse foi o mote do Pitch”n Pizza Health, evento realizado em São Paulo na noite de 25 de maio. “Nosso objetivo é gerar relacionamento e criar oportunidade de negócios”, disse Guilherme Massa, sócio e cofundador da Liga. A ideia é ajudar quem já deu os primeiros passos a conseguir investimento e mentoria para aprimorar e expandir suas atividades. Em apresentações de cinco minutos, seis startups selecionadas contaram sua história e propósito. A seguir, ao longo de dez minutos, seus representantes responderam a perguntas e receberam feedback da banca — um time de peso convidado por SAÚDE (veja ao lado). “Vimos ideias interessantes, com aplicabilidade, usando plataformas digitais para estimular mudanças de estilo de vida”, destacou a cardiologista Jeane Tsutsui, jurada e diretora médica do Grupo Fleury.

Entre os projetos, ficou nítida a preocupação com a adesão a tratamentos e bons hábitos, sobretudo em doenças que exigem acompanhamento prolongado. O Kimeo, por exemplo, é uma rede social de apoio a quem enfrenta o câncer. Já o Smartpills dá uma força a quem não se lembra do horário de tomar o remédio: um dispositivo monitora a utilização dos comprimidos e ainda alerta sobre os riscos de deixar a carteia na gaveta. Teve até tecnologia de reconhecimento facial que se vale das expressões do rosto para movimentar uma cadeira de roda motorizada. Fazendo jus ao nome do evento, o encontro se encerrou com uma bela pizza, quando os participantes tiveram a oportunidade de trocar cartões e, quem sabe, iniciar parcerias de sucesso.

REDE CONTRA O CÂNCER “Fornecemos conteúdo para os pacientes terem uma vida mais saudável ao longo da quimioterapia e ganharem motivação durante o tratamento”, explicou Gustavo Silva, da startup Kimeo. Nessa rede de relacionamento e monitoramento, o usuário conhece outras pessoas com a doença, conta sua história e faz o controle das medicações. Em dez meses de operação, foram mais de 2 mil downloads, cerca de 400 cadastrados e milhares de trocas de mensagens. A plataforma seria adaptável a doenças crônicas como hipertensão e diabete.

MOBILIDADE HIGHTECH

Cláudio Pinheiro, da Hoo.Box, apresentou o Wheelie, programa que mapeia pontos na boca, nariz, olhos e sobrancelhas.

O software é o primeiro no mundo a traduzir expressões faciais em comandos para movimentar cadeiras de rodas motorizadas.

O kit é composto de câmera 3D, microcomputador e uma garra que vai sobre o joystick que controla a cadeira — o que não exige sensores presos ao corpo. “O Wheelie dá autonomia para quem não pode mexer braços e pernas”, defendeu Pinheiro.

A invenção será testada agora na Califórnia, com veteranos de guerra dos Estados Unidos.

SAÚDE NO TRABALHO 

O foco da Go Good é diminuir o custo de saúde nas empresas.

“O colaborador se cadastra e escolhe quais hábitos precisa transformar”, contou Bruno Rodrigues, CEO da startup. Se a pessoa declarou que quer ter uma vida mais ativa, consegue acompanhar o progresso por meio do aplicativo. A interação com colegas serve de motivação. Sem contar o sistema de recompensa com apelo social: o engajamento gera crédito a ser doado pela empresa a entidades. A partir de três meses de uso, já se contabiliza um aumento de 150% na frequência de atividade física de funcionários.

CONEXÃO MÉDICA 

Com mais de 400 médicos cadastrados e uma meta de chegar a 105 cidades ainda em 2017, o Hippo Doc se posiciona como uma alternativa aos planos de saúde. A estratégia, segundo Ana Claudia Oliveira, diretora operacional da startup, é oferecer consultas e exames a preços populares e manter uma carteira de profissionais satisfeitos com a remuneração. Os agendamentos são feitos por site ou aplicativo, que prevê ainda a montagem de um prontuário eletrônico e avaliação dos profissionais de saúde a partir da experiência dos próprios pacientes.

REMÉDIO NA HORA 

O Smartpills nasceu para ajudar pessoas com doenças crônicas a aderirem direito ao tratamento. Funciona assim: um adesivo com circuito é colado atrás da carteia do medicamento, com um gadget acoplado. O indivíduo gerencia tudo pelo aplicativo, que avisa a hora de tomar o comprimido e registra quando isso é feito. Se a pílula não for destacada, o sistema envia um sinal para o cuidador cadastrado. “Temos parcerias com farmácias para quem optou pelo modo refil, com entrega dos remédios em casa”, acrescentou o engenheiro Rodrigo Gurdos, sócio fundador e idealizador do Smartpills.

ENFERMEIRA DIGITAL 

Fundadora e CEO do Cuco Health, Lívia Cunha abriu sua apresentação dizendo: “Esta é uma plataforma para engajar e monitorar pacientes em tempo real”. Para além de lembretes dos remédios, uma parceria com a IBM possibilitou o uso de inteligência artificial para criar a primeira enfermeira digital do Brasil. Milhares de perguntas são catalogadas de acordo com a condição de saúde do paciente para responder às suas dúvidas de forma segura. Lívia anunciou ainda um estudo clínico conduzido pelo Hospital do Coração, em São Paulo, para avaliar a eficiência do aplicativo. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *