Risco de desabastecimento e dificuldades com frete são temas de ofício ao Ministério da Infraestrutura
Para Sociedade Setor 07/05/2020

Risco de desabastecimento e dificuldades com frete são temas de ofício ao Ministério da Infraestrutura

Em ação conjunta com outras sete entidades, a INTERFARMA encaminhou na última segunda-feira, dia 4, um ofício ao Secretário Executivo Adjunto do Ministério da Infraestrutura, Rodrigo Otavio Moreira da Cruz, em que relata as dificuldades para transporte nacional e internacional de medicamentos.

No texto, as entidades alertam para o risco de desabastecimento nas regiões Norte e Nordeste, devido ao cancelamento frequente de voos e fechamento de aeroportos. Cargas perecíveis, como medicamentos biológicos, correm risco de serem descartados. Além disso, o aumento do valor do frente é exorbitante e são cobradas tarifas para priorizar cargas que já deveriam ser consideradas prioritárias. 

Diante disso, foi solicitada elaboração de uma medida oficial para que produtos de saúde, medicamentos e amostras biológicas sejam considerados “carga prioritária”. Também foi pleiteada participação no Grupo de Trabalho a ser criado pelo ministério, e coordenado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), para estudar medidas para retomada de voos e soluções a demais problemas. 

Por fim, pede-se auxílio na definição de hubs internacionais para garantir o fluxo de insumos e produtos oriundos do exterior, e auxílio do Ministério das Relações Exteriores para a segurança e viabilidade de voos internacionais.

Assinam o documento em conjunto com a INTERFARMA: Abimed (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde), Abimo (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios), Abraidi (Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Produtos para Saúde), Abramed (Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica), CNSaúde (Confederação Nacional de Saúde), CBDL (Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial) e FBH (Federação Brasileira de Hospitais).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *